5/6/2018

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

“O tema da sustentabilidade entrou na pauta estratégica da indústria paulista”. Foi assim, com um convite ao debate, que foi aberto o Seminário “A indústria recicla – Sistemas de Logística Reversa em Operação no Brasil”. Quem destacou o assunto foi o vice-presidente da Fiesp e diretor titular do Departamento de Desenvolvimento Sustentável da federação, Nelson Pereira dos Reis, que deu as boas-vindas aos participantes do encontro. O seminário faz parte da 20ª Semana do Meio Ambiente da Fiesp e do Ciesp, iniciada na manhã desta terça-feira (05/06).

Reis lembrou que a relação da indústria paulista com a causa do meio ambiente começou em 1973, quando foi formada uma comissão temática. “Criamos uma área ambiental antes que o poder público o fizesse em São Paulo”, disse. “Nossa atuação institucional chega ao âmbito internacional”, destacou.

Segundo ele, é importante trabalhar para que a legislação e as normas “tenham consistência técnica e viabilidade de realização”. “Também publicamos conteúdos para ajudar os empresários e valorizamos as boas práticas, como a realização do 24º Prêmio Fiesp de Mérito Ambiental”.

Para Reis, “o tema da sustentabilidade entrou na pauta estratégica da indústria paulista”. “Temos muito o que evoluir”, disse.

Vereador de São Paulo, Gilberto Natalini também participou da abertura do seminário e da Semana do Meio Ambiente.

“As leis têm que pegar”, afirmou. “Que a gente possa preservar a nossa casa comum”.

Natalini disse “admirar muito a Fiesp”. “Vocês discutem questões de vanguarda, por isso venho aqui sempre que convidado”.

Deputado federal pelo estado, Arnaldo Jardim foi outro participante.  “Prefiro ver o copo meio cheio, isso dá sentido ao que ainda temos que fazer”, disse. “Temos uma das legislações mais completas do mundo na área ambiental”, afirmou. “Quero saudar a Fiesp pela militância e compromisso”.

Primeira palestra

Após a abertura dos eventos, foi realizada a primeira palestra do seminário. O tema foi a “Logística Reversa de Eletroeletrônicos”, abordado pelo gerente do Departamento de Sustentabilidade da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), Ademir Brescansin.

Brescansin destacou a atuação da Green Eletron, entidade civil criada pela Abinee para debater questões como a legislação, eficiência e segurança em relação ao uso de itens como pilhas e baterias, sempre discutindo que destino dar aos eletrônicos descartados.

“Temos termos de compromisso assinados com o estado de São Paulo para expandir o sistema de logística reversa de eletroeletrônicos”, disse.

Dessa forma, existem 20 pontos coletores da Green Eletron na capital, instalados em shoppings, escolas e praças públicas, por exemplo. “Vamos avaliar, numa segunda fase, se o comércio é o melhor ponto para o descarte de eletroeletrônicos”.

Outra ação recente foi a parceria com o Movimento Greenk, criado com a missão de conscientizar a população sobre o descarte correto do lixo eletrônico. “Fizemos uma parceria para coleta de materiais, ações educacionais para 80 escolas e até uma gincana para levar eletroeletrônicos”, disse. “Foram 74 toneladas coletadas na feira Greenk Tech Show, entre 25 e 27 de maio últimos”.

Agora, a próxima missão da Green Eletron é gerenciar, durante um ano, 15 coletores em praças municipais em São Paulo.

Para conferir a programação completa da 20ª Semana do Meio Ambiente da Fiesp e do Ciesp, é só clicar aqui.



Últimas da Imprensa

ver mais dados da imprensa
x