13/11/2017

Solange Sólon Borges

A partir desta segunda-feira (13/11), o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, participa da 23ª Conferência das Partes (COP 23), dos encontros bilaterais e das sessões oficiais da conferência, inclusive dos eventos no Espaço Brasil. Na agenda, participação da reunião do 8º Fórum Mundial da Água e de reunião com países integrantes do BASIC – Brasil, África do Sul, Índia e China.

O encontro do segmento de alto nível será aberto nesta quarta-feira (15/11), no Plenário New York, e contará com a participação dos chefes de delegação dos países-membros. O pronunciamento oficial do Brasil está agendado para quinta-feira (16/11), proferido pelo ministro Sarney Filho, na véspera do encerramento da COP.

Para o ministro Sarney Filho, a mais importante decisão da COP 23 para o Brasil é o pagamento por serviços ambientais. “Está na hora da implementação desse mecanismo porque estamos tratando de florestas e de biodiversidade. Se extinguirmos as florestas, a biodiversidade não será fácil de se recuperar. E o Brasil é o país mais biodiverso do mundo”, explicou.

No âmbito doméstico, decreto presidencial converte multas do Ibama em serviços ambientais ao incentivar grandes empresas com descontos de até 60% a investir em projetos de recuperação e revitalização ambiental. “Há 15 anos, só 5% das multas são recebidas. Apenas nas três grandes empresas com as quais já acordamos o desconto, serão R$ 800 milhões para projetos. Os primeiros serão no rio São Francisco e no rio Parnaíba”, afirmou o ministro.

Com informações do MMA.



Últimas da Imprensa

ver mais dados da imprensa
x