9/11/2017

Solange Sólon Borges 

O Brasil terá, pela segunda vez, espaço próprio em uma COP. O Espaço Brasil, na COP23, abriga debates sobre a atuação nacional na agenda do clima. Coordenado pela delegação brasileira, o Espaço também proporciona ambiente para relacionamento com autoridades e empresas internacionais, formadores de opinião e público especializado.

No primeira semana de programação, apresentação do Plantadores de Rios, aplicativo que conecta interessados em apoiar a recuperação de rios e nascentes e ainda detentores de imóveis rurais com obrigação de recompor a vegetação nativa. A equipe do Serviço Florestal Brasileiro, órgão vinculado ao Ministério do Meio Ambiente (MMA), apresentou a versão em inglês do programa.

Também ocorreram eventos sobre as unidades de conservação brasileiras e o trabalho de proteção da Amazônia realizado pelo Ibama e pelo ICMBio, além da contribuição dos indígenas para preservação dos biomas e as iniciativas realizadas em suas terras a fim de conter o desmatamento, inclusive com a aplicação de REDD+.

E, ainda, debates sobre temas como recuperação de vegetação nativa e recursos hídricos, cooperação Sul-Sul e seminário sobre o Sistema Nacional de Cadastro Ambiental Rural (CAR).

Nesta quinta-feira (9/11) serão discutidos temas como agricultura de baixo carbono, adaptação à mudança do clima e medidas de proteção e conservação do Cerrado.

Também na agenda, o lançamento do Guia “Mecanismo voluntário de compensação individual de emissões de gases de efeito estufa” e relatório especial do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas sobre Tecnologias disruptivas de baixo carbono para setores chave no Brasil.

Nesta sexta-feira, 10, debate sobre combate a incêndios florestais e São Paulo no clima: impactos e perspectivas.

No contexto da COP23, também será realizado evento paralelo da programação oficial sobre a promoção dos biocombustíveis e da bioenergia.

Confira a programação

Com informações do MMA.



Últimas da Imprensa

ver mais dados da imprensa
x