11/12/2018

Solange Sólon Borges 

O Fundo Nacional sobre Mudança do Clima (Fundo Clima), sob o guarda-chuva do Ministério do Meio Ambiente (MMA), recebeu novo aporte de R$ 163 milhões. Em função desses valores, o total de repasse chega a R$ 391 milhões somente no segundo semestre de 2018.

O objetivo desses recursos é atender a pessoas físicas e microempresas interessadas em instalar energias renováveis em suas propriedades com diferencial na linha de crédito com redução da taxa de juros. A taxa é de 4% ao ano para os que comprovarem renda de até R$ 90 mil. Para rendimentos anuais superiores, 4,5%. A carência é de três a 24 meses e o prazo máximo de amortização é de 12 anos. Até o momento já foram atendidos 180 projetos em todo o país.

Espera-se aquecer o mercado e elevar a 18 mil as instalações de painéis solares em pequenas propriedades, notadamente nas áreas rurais, considerando-se o custo médio de R$ 15 mil a R$ 25 mil.

FUNDO CLIMA – O Fundo Nacional sobre Mudança do Clima é um instrumento da Política Nacional sobre Mudança do Clima e tem a finalidade de financiar projetos, estudos e empreendimentos voltados para a redução de emissões de gases de efeito estufa e para a adaptação aos efeitos da mudança do clima. Vinculado ao MMA, o Fundo Clima disponibiliza recursos em duas modalidades: reembolsável e não-reembolsável. Os recursos reembolsáveis são administrados pelo BNDES e os não reembolsáveis, pelo MMA.

Com informações do MMA



Últimas da Imprensa

ver mais dados da imprensa
x